Google+ e os Círculos

Como muitos de vós, lá consegui um convite para o Google+.

Tenho lá passado bastantes horas em deliciosa cavaqueira, mas…

… há umas coisinhas que me andam a chatear.

Os Círculos.

Não me entendam mal, eu gosto da ideia, gosto da facilidade, entendo perfeitamente as vantagens e aprecio de sobremaneira a forma facílima de os usar, modificar, criar, etc.

O que me anda a chatear, não são os círculos, mas o mau uso deles.

Tudo bem que se usem durante as partilhas, mas, não abusem. Cada vez que restringimos o acesso ao que publicamos, seja o que for, estamos a reduzir o alcance do que queremos dizer. Sim, muitas vezes é mesmo isso que se quer. Mas, não é sempre.

Se vamos falar de algo privado, pessoal, ou que apenas interessa a uma parte muito pequena da nossa Network, sim, ok, com algumas excepções, força nos círculos. Mas, se pelo contrário, o que pretendemos é uma conversa alargada sobre o que partlhamos, ou, vamos à pesca de novos contactos, ou, queremos ouvir opiniões de mais pessoas, ou, queremos aquilo partilhado por sítios aonde não teríamos acesso, não usem os Círculos. Usem o Público.

Por exemplo, partilharam hoje comigo um vídeo de um grupo de dança. Gostei muito do vídeo, achei que seria interessante partilhá-lo com a minha Stream, quando noto que quem o colocou originalmente no G+, o colocou Limitado a um ou mais dos seus círculos. Isso de imedaito elimina a minha capacidade de partilha com o Público. Para além disso, faz-me pensar se devo ou não partilhar aquilo. Para além disso, se optar por partilhar, com que Círculos o faço? Será sequer que quem postou aquilo, queria que fosse partilhado? Ou será que nem sequer pensou nisso e usou os Círculos porque estão lá, e pronto…

O que me chateia é mesmo isso. O …e pronto…

Sim, há Círculos, sim, são para usar. Mas não são para usar SEMPRE.

Cada um de nós terá de avaliar muito bem as consequências de colocar algo com acesso restrito. Porque não nos vão afectar apenas a nós, mas a todos os outros Downstream.

Para além de tudo isso, ir para uma Rede Social e começar com “cochichos” com alguns, ou não sabem bem o que estão ali a fazer, ou não deviam sequer lá estar.

Imaginem este cenário. Imaginem o G+ como um bar, mas daqueles em que a música é mantida de forma a permitir conversar. Está toda a gente à conversa com toda a gente. Podes ir de mesa em mesa falar ao ouvido de quem te apetecer, ninguém leva a mal. Mas se apenas fizeres isso, o que achas que vão pensar de ti? O que ganhaste da tua ida lá? Sim, falaste muito com os teus amigos, mas só com eles. E o resto da malta? Quanta gente porreira ficaste sem conhecer porque apenas falaste com quem já conhecias?

Se calhar há mais aspectos disto que eu não estou a alcançar. Deixem comentário.

Entretanto… se vos apetecer, partilhem isto. É Público!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s